Henrique Alvarenga - ILOS

Túnel mais longo do mundo entra em operação na Suíça

Depois de 17 anos do início de sua construção, o túnel de base Saint Gothard, que atravessa os Alpes suíços, entrou em operação. Após a inauguração ocorrida em junho, que contou com a participação dos chefes de estado da Suíça, Alemanha, França e Itália, a primeira viagem comercial foi finalmente realizada no dia 11 de dezembro de 2016, com a composição férrea saindo de Zurique, ao norte do país, e chegando a Lugano, ao sul.

tunel_ilos

Figura 1 – Teste operacionais no túnel de base Saint Gothard, realizados em setembro de 2016. O túnel realizou sua primeira viagem comercial em dezembro.

Fonte: https://commons.wikimedia.org/wiki/File:SBB_-_Gothard_Base_Tunnel_GBT_(29223270723).jpg

 

Para quem não está familiarizado, a Suíça é um país central na Europa que faz fronteira com alguns dos mais importantes países do continente, como França, Alemanha e Itália. Mais de 60% de seu território está sob os Alpes, a famosa cordilheira europeia, fato que confere ao país algumas das mais belas paisagens naturais da região. Por outro lado, a cadeia montanhosa oferece um enorme desafio no que diz respeito ao transporte de pessoas e cargas.

O projeto do túnel de base Saint Gothard foi discutido ainda em 1992, quando ocorreu um referendo para considerar a opinião da população sobre os investimentos públicos que seriam feitos na obra. A população não só apoiou o projeto como reiterou tal opinião num segundo referendo, que apontava a necessidade de um aumento no orçamente anterior. Este apoio do povo suíço foi fundamental para a continuidade do projeto, vista sua grandiosidade e complexidade. Colocado em números, é possível entender porque ele é chamado por muitos suíços de “ O projeto do século”.

O Saint Gothard é, atualmente, o túnel mais longo do mundo, com 57 km de extensão (superando o túnel japonês em Seikan por 3,2 km e o Eurotúnel, que liga França e Inglaterra por baixo do canal de Mancha, em 7 km). O túnel atinge uma profundidade de até 2,3 km, entre rochas que atingem temperaturas de até 46° C. Por conta deste calor, foi instalado um robusto sistema de refrigeração. Para a movimentação dos trens, foram construídos dois túneis paralelos, cada um designado para o transporte em um sentido, o que evita qualquer risco de colisão de trens em sentidos opostos. Entre os dois túneis, foram colocadas passagens, que podem servir em casos de emergência, a cada 300 m. Ainda, os sistemas de comunicação e controle do túnel são de ponta, permitindo uma operação segura e eficiente.

O preço de tamanho empreendimento também chama atenção: o custo total do projeto foi de 11 bilhões de euros. Apesar do preço e do prazo pareceram absurdos, vale ressaltar que o projeto ultrapassou somente 20% de seu orçamento previsto (o que é bastante positivo para projetos com tais características) e foi entregue antes do prazo acordado. Como efeito comparativo sobre gestão de projetos, a construção da Ferrovia Transnordestina brasileira já dura 10 anos (sendo 7 de atraso), não possui prazo definido para término, e o orçamento inicial de R$ 4,5 bilhões hoje já supera os R$ 11 bilhões.

Em relação a capacidade do túnel, estima-se que, por dia, passarão 65 composições levando passageiros e 260 com mercadorias. Inicialmente os trens viajarão a 200 km/h, porém podem chegar até 250 km/h. O tempo de trajeto entre Zurique e Milão, por exemplo, será reduzido em 1 hora. Sendo a Suíça uma das principais ligações entre o Porto de Roterdã (o maior da Europa) e a Itália, o túnel representará um ganho substancial nos tempos de transferência dos produtos, além de reduzir o tráfego rodoviário e os impactos ambientais, pelo uso de um modal mais limpo. Agora, uma mesma linha férrea conecta o porto holandês até Gênova, na Itália, criando uma ligação direta e eficiente entre o mar do Norte e o Mediterrâneo. O túnel terá capacidade de transportar 40 milhões de toneladas por ano. Sabendo que passam pelo Porto de Roterdã 465 milhões de toneladas anualmente, o túnel de Saint Gothard terá capacidade de escoar quase 9% das mercadorias recebidas no maior porto da Europa, o que revela a importância e relevância do empreendimento em termos logísticos.

O vídeo abaixo mostra como foi a inauguração do túnel de junho, além de explicar alguns dos principais pontos referentes ao projeto.

Vídeo 1 – Inauguração do túnel de base Saint Gothard na Suíça

Fonte: DW

Referências:

<http://www.lemonde.fr/economie/article/2016/05/31/saint-gothard-la-suisse-voit-le-bout-du-tunnel_4929482_3234.html>

<http://www.swissinfo.ch/fre/economie/gothard_le-tunnel-des-records-entre-en-service/42730324>

<http://www.dn.pt/mundo/interior/o-tunel-ferroviario-mais-longo-do-mundo-abriu-hoje-aos-passageiros-5546200.html>

<http://exame.abril.com.br/revista-exame/conta-da-locomotiva-forrozeira-da-csn-ja-passa-de-r-11-bi/>

<https://www.portofrotterdam.com/en/the-port/facts-figures-about-the-port>