thatiana_nomi - ILOS

Transformação Digital do Supply Chain – parcerias estratégicas prometem marcar o mercado


O tema de transformação digital no supply chain não é de hoje. Seja pela necessidade de ser mais eficiente e de reduzir custos, melhorar a experiência do consumidor, melhorar a tomada de decisões ou transformar o modelo de negócios, a pauta já está na agenda das empresas há alguns anos, e essa agenda só foi acelerada com a pandemia em 2020. Confira abaixo algumas grandes parcerias anunciadas de maio para cá no mundo, no que diz respeito ao fornecimento de soluções para a transformação digital do supply chain.

FedEx e Microsoft

No fim de maio de 2020, a FedEx e a Microsoft anunciaram o início de uma parceria que deve se perpetuar por um bom tempo, com o objetivo de lançar soluções logísticas que melhorem a visibilidade nas cadeias de suprimento. O primeiro produto dessa colaboração foi intitulado FedEx Surround, e combina a rede logística da FedEx com os serviços em nuvem e plataforma ERP da Microsoft.

Em termos mais concretos, a solução promete analytics em tempo real nos processos de entrega, de forma bem granular, chegando no nível de CEP, por exemplo. Os dados seriam capturados com tecnologias IoT da FedEx (como o SenseAware), e analisados com as ferramentas de IA e machine learning da Microsoft. Em determinadas indústrias, como no segmento de saúde, o monitoramento de fatores como a temperatura se faz crítico. Ter maior visibilidade e inteligência por trás desses dados também pode beneficiar empresas em questões de segurança da carga, na antecipação de eventos com tomada de ações proativas, ou na identificação de melhorias no processo de entrega.

Muitos no mercado veem a parceria como uma junção de esforços para aumentar a competição contra a Amazon. No ano passado, em agosto de 2019, a FedEx não renovou os contratos Ground e Express que tinha com a gigante do e-commerce, que a cada dia que passa amplia mais e mais as suas capabilities como operador logístico.

Blue Yonder e Panasonic

A parceria entre a Blue Yonder (antiga JDA) e a Panasonic na verdade começou em abril de 2019, quando as duas empresas formaram uma JV para lançar soluções conjuntas para as indústrias de manufatura, logística e varejo no Japão. Em junho de 2020, porém, a Panasonic realizou um investimento de capital que lhe dá uma participação minoritária de 20% e um assento no Conselho de Administração da Blue Yonder. A intenção é acelerar o desenvolvimento de soluções na busca por um supply chain autônomo.

A Blue Yonder é um dos mais bem estabelecidos fornecedores de soluções de gerenciamento do supply chain no mundo, e as capabilities de IoT da Panasonic provavelmente são um dos grandes atrativos da parceria. Para a Panasonic, o investimento reflete o processo de transformação do business pelo qual passa. Até recentemente, o negócio era voltado para a venda de hardware, mas passará a incluir fornecimento de software, de consultoria e outros serviços. Essa transformação do negócio nas empresas de hardware é algo que vem acontecendo há um bom tempo no mercado (“renascimento do hardware empoderado por software”), em grande parte por causa da redução de receitas com a comoditização de produtos de hardware, e pelo mundo de oportunidades disponíveis no mercado de software.

No Japão, a Panasonic fornece caixas registradoras para supermercados e para o McDonalds há décadas. Porém, duas concorrentes detêm 80% desse mercado, e a empresa não tem crescido no segmento, que deve ser encerrado no fim do ano fiscal, em março de 2021. Enquanto isso, no supply chain, enfrentamos desafios na previsão de vendas, na gestão de estoques, otimização de entregas e do uso de mão de obra, visibilidade da cadeia, … As oportunidades para desenvolvimento e aperfeiçoamento de soluções são inúmeras.

LINK – ecossistema de grandes empresas com startups

No início de agosto, a Innovation Endeavors e a Sidewalk Infrastructure Partners (SIP) anunciaram o LINK: um esforço global para unir grandes empresas e startups, com o objetivo de estabelecer um ecossistema para acelerar inovações no âmbito do supply chain. A Innovation Endeavors é um fundo de investimento co-fundado por Eric Schmidt, que foi CEO da Google de 2001 a 2011. A SIP é co-liderada por dois veteranos da Google, e é derivada da Sidewalk Labs (subsidiária da Alphabet voltada para inovações de planejamento e infraestrutura urbana).

Algo que deve ser enfatizado nessa iniciativa é o termo “ecossistema”. A ideia é colocar grandes players da indústria na mesma sala que as startups, e focar na resolução dos problemas e na aceleração do desenvolvimento de soluções, deixando de lado o aspecto de pitch de vendas. As startups ganham acesso direto às informações de dentro das multinacionais, fora o contato com grandes executivos dessas empresas e a oportunidade de convertê-los em clientes. Para as multinacionais, a oportunidade é de resolver seus problemas, e fazê-lo em um passo mais acelerado do que tradicionalmente é feito. Além disso, é uma forma de manter o fluxo de inovações e de ideias frescas no negócio.

As empresas e as startups começaram a se encontrar há cerca de um ano, em 2019, mas a covid-19 e seus impactos nas cadeias de suprimento globais deram um caráter emergencial à iniciativa. Os supply chains já sofriam para acompanhar as mudanças e exigências de um mundo mais digital, e, com a pandemia, problemas como falta de integração e falta de visibilidade ficaram extremamente evidentes. Assim, o projeto foi anunciado em um formato mais “oficial”, sob o nome “LINK” no dia 6 de agosto de 2020. Dentre os grandes players da indústria, são participantes até o momento: BMW, Carter’s, DHL, Estée Lauder, Georgia Pacific, PepsiCo, Shopify, Starbucks e US Postal Service.

Colaboração é uma das grandes lições da crise

Dentre os diversos aprendizados que podemos tirar da pandemia, talvez um dos mais valiosos seja o poder das parcerias e das iniciativas de colaboração, e como estas podem ser estruturadas de forma sustentável, à benefício de todos os lados, gerando resultados que são muito maiores do que a soma dos esforços em separado. Mais do que isso, parcerias podem ser decisivas para o futuro de um negócio, como vemos no caso da Panasonic. Outras empresas de tecnologia, como a Cisco, já estão há muitos anos na “jornada do software”. A Panasonic só entrou nessa trajetória recentemente, mas o faz com um parceiro extremamente estabelecido em um mercado que está transbordando com oportunidades.

Transformação Digital do Supply Chain e Reinventando o Supply Chain serão duas vertentes abordadas no 26º Fórum Internacional Supply Chain, que o ILOS irá promover entre os dias 13 e 15 de outubro, pela primeira vez 100% online. O mundo cada vez mais digital já trazia diversos desafios para as cadeias de suprimentos e seus profissionais, e a pandemia intensificou todos esses efeitos. Apesar das inúmeras adversidades, temos visto soluções fantásticas e criativas, e temos aprendido muitas lições. Estamos preparando um conteúdo muito rico, não deixe de conferir! Garanta já a sua participação!