Posts

Para revolucionar a distribuição urbana, drones? Não, robôs!

Seguidamente vemos na mídia notícias sobre empresas testando o uso de drones para realizar a entrega de produtos diretamente para clientes, o chamado last mile. Esta última etapa da cadeia de suprimentos é uma das maiores dores de cabeça de gestores logísticos, pois realizar essa entrega de forma eficiente, considerando todas as restrições inerentes aos grandes centros urbanos, é uma tarefa complexa e muito cara.

Pensando nisso, os co-fundadores do Skype, Ahti Heinla e Janus Friis, criaram uma start-up com objetivo de revolucionar o mercado de distribuição.  A Starship Technologies é uma pequena empresa, com escritórios na Inglaterra e na Estônia, que está desenvolvendo robôs capazes de fazer entregas localmente em um raio de até 5km (Figura 1). Os robôs são projetados para serem conduzidos de forma autônoma durante 99% do tempo e utilizam peças “de prateleira”, além de se tratar de uma tecnologia verde, livre de emissões de CO2, pois eles são carregados por baterias e consomem menos energia que a maioria das lâmpadas.

Starship

Figura 1 – Starship robots

Fonte: Starship

 

As máquinas foram projetadas para andar nas calçadas e possuem sensores que permitem com que elas atravessem sinais, ajustem a sua velocidade e impeçam com que elas esbarrem em pedestres e objetos, recebendo por isso o apelido de robôs gentis. Além disso, operadores humanos que monitoram constantemente os starships robots podem assumir o seu controle em caso de qualquer problema. Veja no vídeo 1 como funcionam os robôs.

Vídeo 1 – Funcionamento dos robôs da Starship

Fonte: Starship

 

Os robôs são leves e muito baratos e o objetivo da empresa é reduzir os custos atuais de entrega por viagem cerca de 10 vezes, revolucionando a forma como mercadorias são entregues. As primeiras versões desenvolvidas suportam cargas de até 18 kg e se locomovem numa velocidade de no máximo 6,4 km/h.

A ideia é que as encomendas fiquem armazenadas em hubs espalhados pela cidade e, após selecionar no aplicativo do celular a opção de entrega, os clientes receberiam o seu pedido em até 30 minutos e poderiam rastrear todo o percurso dos robôs pelos seus dispositivos móveis. No tocante à segurança, os robôs se locomovem trancados e só podem ser abertos pelo smartphone do cliente.

O projeto ainda está em fase de testes e demonstrações, mas a expectativa da Starship é já criar serviços-piloto com empresas parceiras dos Estados Unidos e Reino Unido ano que vem.

Apesar de todos os avanços tecnológicos já alcançados, imaginar a utilização de drones e robôs de entregas como estes em larga escala ainda parece a realidade de um futuro distante, retirado de algum episódio do desenho animado Os Jetsons. Quando pensamos no Brasil, onde nem mesmo modais mais tradicionais de transporte possuem infraestrutura adequada e a todo momento vemos notícias de caminhões de carga sendo roubados, este cenário parece utópico. Será que empresas como a Starship conseguirão mesmo essa revolução? A aguardar as cenas dos próximos episódios!

 

Referências

<https://www.starship.xyz/>

<https://www.youtube.com/watch?v=MEWfsVPqKi4>

 

Uber entra de vez no mercado logístico

Cada novo aplicativo de entregas desenvolvido no mundo é batizado como o “Uber das Entregas”. Isto aconteceu com os serviços Postmates, Deliv, Sidecar e Amazon Flex, entre outros. Pois recentemente foi o momento do próprio Uber entrar nesse mercado e anunciar oficialmente o UberRUSH.

Fundada em 2009, a empresa revolucionou o serviço de transporte de passageiros no mundo ao permitir que usuários de smartphones pudessem solicitar caronas pagas a motoristas espalhados pela cidade, diferenciando-se dos táxis pela qualidade do serviço e funcionalidades que não existiam até então.

A Uber já lançou diversas variações do seu serviço pelo mundo, como o UberPET, UberPOP, UberBIKE, UberPOOL, UberChopper e UberEATS, mas nenhum que pudesse impactar o mercado de logística como o UberRUSH.

UberRUSH logo

Figura 1 – Logo UberRUSH

Fonte: Uber

O UberRUSH é um serviço de entrega de encomendas no mesmo dia que comerciantes locais podem integrar à sua plataforma de e-commerce, tal como Shopify, Clover, ChowNow, Bigcommerce e delivery.com. Após um cliente solicitar uma entrega no mesmo dia, o comerciante entra no seu aplicativo do UberRUSH, preenche as informações da entrega e dentro de alguns minutos um entregador irá chegar para buscar o pacote e leva-lo até o cliente. O serviço possui rastreamento em tempo real, o que permite que tanto o vendedor quanto o cliente podem acompanhar o percurso do entregador. No Vídeo 1 é possível ver como o UberRUSH funciona.

Vídeo 1 – Funcionamento do UberRUSH

Fonte: Uber

No momento, o serviço está disponível apenas nas cidades norte-americanas de Nova York, São Francisco e Chicago e o valor é pago por corrida, não custando nada ao comerciante à inscrição no programa. O frete muda conforme a localidade, variando de 5 à 6 dólares entregas no raio de 1 milha (equivalente a 1,6 km) e 2,5 à 3 dólares a milha extra. O entregador recebe cerca de 80% deste valor e a Uber fica com o restante. Ao comerciante, cabe à decisão de repassar o custo ao consumidor ou ele mesmo absorver o valor. As entregas são feitas a pé, por meio de bicicletas ou carros, e passageiros do serviço tradicional e encomendas do UberRUSH não andam juntos.

entregador UberRUSH

Figura 2 – Exemplo de entregador do UberRUSH

Fonte: http://thehypebr.com/2015/10/14/uber-lanca-o-uberrush-seu-novo-servico-de-entrega

O objetivo da Uber com o seu novo serviço é aproveitar a expertise e credibilidade obtidas com o transporte de passageiros e se tornar a frota de comerciantes locais, permitindo que estes não precisem mais conviver com entregadores ociosos durante os períodos de baixa demanda e sobrecarregados nos momentos de pico.

O serviço ainda está em seus primeiros passos e tem muito a crescer. No entanto, como escreveu Leonardo Julianelli em seu post Omni-Channel Supply Chain, daqui a um tempo clientes do varejo não mais aceitarão esperar dias pela sua encomenda e exigirão seus produtos em horas. Serviços como o UberRUSH poderão ser a solução.

No mercado de transporte de passageiros, a empresa teve que lidar com diversas polêmicas e luta até hoje em algumas cidades do mundo para conseguir ser legal e operar juntamente com táxis. No novo negócio, a disputa será não só com concorrentes com modelos de negócio parecidos, mas também com empresas que entregam encomendas globalmente, como FedEX, UPS, TNT e DHL, e que possuem uma infraestrutura muito maior e cada vez mais voltam seus olhos para o mercado de entregas expressas. A concorrência nesse mercado é cada vez maior e caberá ao tempo dizer se a Uber conseguirá se destacar e obter o mesmo sucesso alcançado com o transporte de passageiros, onde foi inovadora.

 

Referências

<https://www.youtube.com/watch?v=FRu6M9sCfmo>

<http://rush.uber.com>

<https://newsroom.uber.com/2015/10/rush-open-for-business/>

<http://www.businessinsider.com/uber-rush-fedex-killer-released-2015-10>

<https://www.shopify.com/blog/57839493-shopify-and-uber-reinvent-local-shipping>

<http://www.bidnessetc.com/55210-uberrush-to-compete-with-fedex-corporation-and-united-parcel-service-inc/>

<http://www.forbes.com/sites/ellenhuet/2015/10/14/delivery-wars-uber-targets-merchants-expands-its-on-demand-courier-service-uberrush/>

<http://www.sfgate.com/business/article/Uber-s-latest-logistics-play-UberRush-in-SF-6569318.php>

<http://thehypebr.com/2015/10/14/uber-lanca-o-uberrush-seu-novo-servico-de-entrega/>