rafaela feijo - ILOS

Redução de custo de transportes: frete, nível de serviço e negociação

Em tempos de crise, as empresas vêm buscando soluções para reduzir os custos operacionais relacionados a logística. Hoje, o custo logístico representa, em média, 7,6% da receita líquida, sendo a parcela mais representativa os custos de transportes: quase 50% dos custos logísticos.

redução de custo de transportes - ILOS - blog

Foto – Percentual dos custos logísticos em relação à receita líquida

Fonte: Panorama ILOS “Custos Logísticos no Brasil”

 

Nesse momento, na discussão do trade-off entre custo de frete e nível de serviço, a situação tem ficado mais difícil, pois a pressão é muito forte para redução de custos, no entanto, com desejo de manter ou melhorar o nível de serviço.

Para reduzir esses custos existem algumas opções e, a mais comumente buscada é a de pressionar o transportador ou trocá-los por outros com tarifas mais competitivas. Se sua empresa está seguindo nessa direção, é bom que você saiba que algumas opções podem ser exploradas.

Como exemplo, se hoje a sua empresa está pagando frete como % da nota fiscal é provável que haja oportunidade de reduzir os custos de transportes migrando para modelos que absorvam ganhos operacionais como pagar por R$/kg e/ou R$/km.

Além de alterar a forma de solicitar o frete, um outro ponto importante é como a busca por melhores tarifas está estruturada. Os processos de RFI e RFQ devem ser bem desenhados dada a estratégia de contratação da empresa, tendo as regiões de atendimento, rotas, tipos de operação necessárias bem definidas. Reduzir a incerteza passada para o transportador certamente trará reduções de tarifa.

O número de players convidados para o processo, as estruturas de precificação, o perfil de carga são pontos chave para um bom resultado no processo de negociação.

Existem, ainda, soluções que as empresas podem colocar em prática para reduzir custos de transporte e que não altera a relação com os transportadores, e sim com os clientes. Essas soluções são chamadas de “Menu Pricing”, sendo revisões das políticas comercias que permitem melhorias operacionais refletidas em redução de custos.

Consolidar pedidos com calendarizações, estabelecer políticas de pedido mínimo mais agressivas são estratégias que garantem melhores utilização e ocupação dos ativos contratados. Com a implementação do menu, você migra sua demanda para um perfil de carga cujo frete é mais barato.

Por fim, quando se busca a redução de custo de transportes, não devemos apenas pensar em pressionar os fornecedores com negociações em preço. Estruturar um processo de cotação e repensar estratégias que impactam em melhorias operacionais é um bom caminho para garantir tarifas mais competitivas e savings para a empresa.