Fernando Chalreo - ILOS

O aumento das chuvas e seu impacto no supply chain

O início de 2020 tem apresentado uma rotina bastante desagradável para o habitante do Sudeste brasileiro. Nuvens negras adornam os céus pelas manhãs, sendo um presságio de temporais que chegam ao final da tarde, causando transtornos e tragédias. É verdade que os problemas dos alagamentos em grandes cidades não vêm de hoje, mas este ano tem sido marcado por alguns recordes infelizes. Em São Paulo, o nível de chuvas no mês de fevereiro foi o maior para o mês desde o início da série de medições, em 1943, e como vimos, a cidade não se encontrava preparada para isso, assim como não estavam Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Vitória, e cidades próximas, que também registraram picos em seus registros históricos.

Além da gigante perda humanitária, com centenas de falecimentos em decorrência das enchentes (e ainda há os desalojamentos e doenças), não é difícil perceber uma série de prejuízos econômicos e logísticos para toda a sociedade. Estruturas são seriamente comprometidas, vias se tornam intransitáveis e os riscos relativos à circulação de pessoas e mercadorias aumentam consideravelmente.

gerenciamento de risco_G1 Figura 1: Bloqueios de estradas se tornam comuns em decorrência das fortes chuvas. Fonte: G1

Na capital paulista, houve uma drástica redução da busca por fretes, e muitos dos transportadores que conseguiram sair às ruas sofreram com lentidão, motoristas ilhados, e perda de carga. As operações do CEAGESP ficaram paradas durante dias, pois a água no entorno do entreposto impedia a saída dos caminhões e chegou a invadir o armazém local, levando à necessidade de descarte de mais de 7 mil toneladas de alimentos. Alguns supermercados da cidade também sofreram com desabastecimento, e empresas dilataram prazos de entrega em função dos desastres. Os percalços logísticos das inundações também dificultam o atendimento e socorro às vítimas, um desafio sobre o qual já comentamos em algumas ocasiões no blog do ILOS (nos posts sobre logística humanitária e logística de emergência).

gerenciamento de risco_Folha e Mercado Figura 2: Caminhões alagados e alimentos jogados no lixo, alguns dos prejuízos causados pelas enchentes. Fonte: Mercado e Consumo e Estado de S. Paulo

Esta realidade evidentemente não vai se resolver apenas com lamentações. Para não agravar o problema no longo prazo, é preciso trabalhar em soluções urbanas para contenção das águas, e mais seriedade e urgência nos debates sobre as mudanças climáticas. Sob o ponto de vista do supply chain, as empresas que podem ter seus negócios e seus stakeholders afetados por esse problema devem se preparar da melhor maneira possível para evitar prejuízos pessoais, financeiros e materiais. As políticas de estoque precisam ser parametrizadas levando em consideração os possíveis dilúvios, assim como devem ser pensados os ativos utilizados, as estruturas montadas e os planos de transferência e produção. Todas essas análises devem ser suportadas por um bom plano de gerenciamento de riscos no supply chain, que avalie de maneira quantitativa as probabilidades e impactos de casos fortuitos e de força maior, e trace planos de contingência em cenários infelizes.

Esperamos que os desastres de hoje sirvam de aprendizado a todos que podem promover a mudança. Não queremos falar dos recordes negativos de 2021 em diante…

Referências:

https://valor.globo.com/agronegocios/noticia/2020/02/10/chuva-em-sp-leva-ceagesp-a-paralisar-atividades.ghtml
https://www.mercadoeconsumo.com.br/2020/02/13/logistica-fortes-chuvas-afetaram-o-transporte-de-cargas-em-sao-paulo/
https://valor.globo.com/brasil/noticia/2020/02/10/chuvas-afetam-comrcio-de-sp-em-ms-marcado-por-menos-dias-teis.ghtml
https://g1.globo.com/sp/santos-regiao/noticia/2020/03/03/queda-de-barreiras-bloqueiam-trechos-da-anchieta-e-conego-domenico-rangoni.ghtml
https://setcesp.org.br/noticias/com-chuvas-supermercados-de-sp-estimam-perda-de-r-30-mi-em-faturamento/
https://noticias.r7.com/sao-paulo/capital-paulista-tem-maior-volume-de-chuvas-para-fevereiro-em-77-anos-26022020