Global Supply Chain Forum Model

Seguindo a linha do post de ontem, vou comentar hoje o segundo modelo mais popular de SCM, desenvolvido em 1998 pelo Global Supply Chain Forum (LAMBERT et al., 1998). O modelo proposto pelo GSCF identifica oito processos-chave que formam a base para o gerenciamento da cadeia de suprimentos, conforme Figura 1. A definição e compreensão compartilhadas destes processos são de crucial importância para o sucesso da gestão integrada da cadeia de suprimentos.

A ideia é que cada processo seja executado transpassando as fronteiras funcionais, eliminando os silos de recursos e informações existentes dentro da organização. Os silos neste modelo são caracterizados pelas áreas funcionais de Marketing e Vendas, Logística, Compras, Produção, Pesquisa & Desenvolvimento e Finanças. Cada processo é, posteriormente, dividido em uma série de subprocessos visando à implementação do modelo (LAMBERT et al., 2005).

GSCF

Figura 1 – Global Supply Chain Forum Framework

Fonte: LAMBERT et al., 1998

 

Reconhecendo a complexidade cada vez maior das cadeias de suprimentos, LAMBERT e POHLEN (2001) propõem sete passos para a validação do modelo GSCF e compreensão de como as atividades se multiplicam entre as camadas da cadeia de suprimentos e como se influenciam:

  • Mapear a cadeia de suprimentos desde o ponto de origem dos insumos até o ponto de consumo dos bens e serviços, a partir da identificação de cada relacionamento-chave existente;
  • Usar os processos de gerenciamento dos relacionamentos com clientes e fornecedores para analisar cada relacionamento e identificar oportunidades de apropriação de valor na cadeia de suprimentos;
  • Desenvolver extratos de “Ganhos e Perdas” para clientes e fornecedores para avaliar o efeito do relacionamento na rentabilidade e no valor para o acionista das duas empresas;
  • Realinhar processos e atividades da cadeia de suprimentos para alcançar os objetivos de desempenho;
  • Estabelecer medidas de desempenho não financeiras que alinhem os comportamentos individuais com os objetivos dos processos da cadeia de suprimentos e com as metas financeiras;
  • Comparar o valor para o acionista e a capitalização de mercado das empresas com os objetivos da cadeia de suprimentos e revisar processos e medidas de desempenho, conforme necessário;
  • Replicar cada um destes passos para cada relacionamento na cadeia de suprimentos.

O modelo GSCF salienta a importância de uma abordagem por processo, onde todas as áreas funcionais devem trabalhar juntas. Para isso, também é fundamental o desenvolvimento e estreitamento das relações com os principais clientes e fornecedores. De acordo com o modelo GSCF, quando todos os mecanismos de coordenação entre as várias funções estão em vigor, o resultado é uma cadeia de suprimentos eficiente e eficaz.

 

Referências

LAMBERT, D. M.; COOPER, M.C.; PAGH, J.D. Supply Chain Management: Implementation issues and research opportunities. The International Journal of Logistics Management, v. 9, n. 2, 1998.

LAMBERT, D. M.; GARCÍA-DASTUGUE, S.; CROXTON, K. An evaluation of process-oriented Supply Chain Management frameworks. Journal of Business Logistics, v.26, n.1, p. 25-51, 2005.

LAMBERT, D. M.; POHLEN, T. L. Supply Chain Metrics. The International Journal of Logistics Management, v. 12, n. 1, p. 1–19, 2001.