Folha - navio contêiner - ILOS na Imprensa

Folha: Mercado avalia transporte marítimo de vacinas

Fonte: Folha de S. Paulo – Coluna Painel S.A.
Por: Joana Cunha, com Filipe Oliveira e Andressa Motter

Uso de contêineres deve ganhar relevância, diz empresa

28.mar.2021 às 14h00

SÃO PAULO – Conforme a produção de vacinas ganhar escala internacionalmente, o setor de logística estuda a possibilidade de que parte do transporte do imunizante passe a ser feito por via marítima.

Robin Townley, executivo da dinamarquesa Maersk, estima que o papel dos contêineres para transporte em embarcações ganhará relevância ainda em 2021. Isso deve acontecer porque os imunizantes passarão a ser distribuídos para locais mais distantes daqueles em que foram produzidos.

A avaliação é que o setor aéreo e a infraestrutura atual para resfriamento das vacinas podem não dar conta da oferta. Para Townley, o atendimento por via marítima será feito principalmente em exportações para América do Sul, África e Ásia.

​O transporte de medicamentos e vacinas por contêineres é comum no mercado e tem como vantagem o custo mais baixo. Porém, o uso para as vacinas da Covid-19 não é unânime. Mauricio Lima, sócio da consultoria em logística Ilos, afirma que a velocidade de entrega é a prioridade nos imunizantes:

“Trazer vacinas da China pelo modal aquaviário poderia levar mais de 30 dias, enquanto um avião pode carregar milhões de doses.”