Henrique Alvarenga - ILOS

Entregas comerciais por drone: o futuro chegou

Já discutimos sobre a revolução na logística que a utilização de drones poderá causar, no artigo Logística para vacinação em lugares de difícil acesso e neste outro Drones: a tecnologia é um avanço ou uma ameaça?. Apesar de ser um tema amplamente discutido e bastante atual, sempre ficava aquela sensação de que esta seria uma realidade ainda distante, por conta das dificuldades relacionadas à regulação e principalmente à segurança. No entanto, em outubro de 2019 alguns fatos determinaram um marco histórico referente à utilização de drones em entregas comerciais, o que pode definir o início da era do uso de drones na logística.

Ocorreu em Christiansburg, no estado da Virginia nos Estados Unidos. Em parceria com a FedEx e a rede de farmácias Walgreens, a empresa Wing, da Alphabet (dona do Google), entregou no dia 18 de outubro encomendas diretamente na casa de residentes da cidade, o que marcou a primeira viagem comercial jamais realizada por um drone para entrega de produtos em domicílio. Além de entregas imediatas, o serviço contempla entregas programadas, permitindo aos usuários agendar entregas por drone para horários específicos. Por ora, o serviço está limitado a alguns produtos da rede farmacêutica parceira.

 

Vídeo 1 – Primeiro serviço comercial por drones nos EUA em domicílio, operado pela Wing na Virginia.

No mesmo mês, a Administração Federal de Aviação dos Estados Unidos (FAA) concedeu à empresa UPS uma licença para possuir e operar uma frota de veículos aéreos não-tripulados. Esta concessão é fundamental para que o serviço seja empregado em larga escala, podendo ser utilizado em breve pelo público em geral. Por enquanto, a UPS tem usado seus drones para entrega de medicamentos em um hospital universitário nos EUA, no modelo B2B. Porém, a UPS está formando uma parceria com outra gigante do setor varejista farmacêutico americano, a CVS Pharmacy, a fim de fornecer remédios prescritos diretamente para clientes, em um modelo B2C similar aos concorrentes Wing/FedEx.

Vídeo 2 – Utilização de drones para entregas de medicamentos na Carolina do Norte.

Outras empresas como Amazon e Uber também têm investido nos serviços de entrega com drones, e em breve devem também obter uma licença similar àquela obtida pela UPS. As aplicações imediatas de logística através de drones são ainda limitadas, podendo ser muito úteis em situações de grande necessidade e urgência, como distribuição de medicamentos, ou em lugares remotos, onde o acesso pelas vias tradicionais é complexo ou restrito. Porém, a partir do momento em que estas empresas obtiverem experiência suficiente para que o serviço ofereça segurança e confiabilidade, deverá ser ampliado para as mais diversas aplicações.

O precedente americano parece tornar este futuro cada vez mais próximo de nós, porém, no Brasil, devemos ainda ter um tempo até a aplicação comercial dos drones, visto que a legislação brasileira é, de forma geral, mais restritiva e morosa. Ainda assim, estamos presenciando a história sendo escrita bem diante de nossos olhos. Caberá aos gestores de logística se adaptar a este novo paradigma e aproveitar as novas oportunidades que se apresentam.

 

Referências:

https://medium.com/wing-aviation/wing-launches-americas-first-commercial-drone-delivery-service-to-homes-in-christiansburg-f8e8c3b2bb47

https://www.washingtonpost.com/local/trafficandcommuting/virginia-town-becomes-home-to-nations-first-drone-package-delivery-service/2019/10/19/4b777d24-f1ff-11e9-89eb-ec56cd414732_story.html

https://www.theverge.com/2019/10/1/20893655/ups-faa-approval-delivery-drones-airline-amazon-air-uber-eats-alphabet-wing

https://www.morningstar.com/news/dow-jones/201910253033/the-drones-are-coming

https://www.cnbc.com/2019/10/21/ups-partners-with-cvs-to-develop-drone-delivery-service-for-prescriptions.html