GiselaMangebeira - ILOS

Custo ambiental entrará na conta do consumidor

Em 2010, foi promulgada a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), que indica a obrigatoriedade do tratamento adequado de todos os resíduos pós-consumo, ou seja, tudo que consumimos deve ser reaproveitado ao máximo, devendo ser a última alternativa o uso de aterros. Segundo a PNRS, essa destinação adequada é responsabilidade compartilhada entre indústria, comércio, governo e consumidor final. Ou seja, assim como na Europa, o entendimento é de que todos os envolvidos com a disponibilização, o uso e a disposição do produto são responsáveis pelo seu impacto ambiental.

custo ambiental - Wikipedia - blog ILOS

Figura 1 – Lixões estão com os dias contados no Brasil

Fonte: Wikipedia

Nesse contexto, as indústrias de vários segmentos estão se organizando para colocar a operação de logística reversa para funcionar. Cada associação de indústrias discutiu alternativas operacionais com o governo, que definiu metas de implantação de infraestrutura de coleta para os 5 primeiros anos e uma meta inicial de volume de retorno a partir do sexto ano de operação.

Em linhas gerais, a maioria dos segmentos está se organizando através de entidades gestoras. As entidades gestoras serão responsáveis por colocar a operação de logística reversa para funcionar, contratando transportadoras, centros de distribuição, recicladoras e alinhando com o comércio a alocação de pontos de coleta. O consumidor, então, deveria levar o resíduo até o ponto de coleta, fechando, assim, o ciclo reverso.

Os custos dessa operação de logística reversa fará parte do custo do produto, dado que cada indústria terá que pagar para as entidades gestoras um valor fixo, chamado de ecovalor, para garantir a destinação adequada. Esse ecovalor pode ser integralmente ou parcialmente repassado para o consumidor final dentro do preço do produto, sendo essa decisão uma opção de cada empresa.

As entidades gestoras mais recentemente criadas foram a Reciclus (Logística Reversa de Lâmpadas) e a Green Eletron (Logística Reversa de computadores e celulares), estando ainda em etapa de organização dos testes operacionais para, em breve, iniciarem a implantação da operação de logística reversa.

1 responder

Trackbacks & Pingbacks

  1. […] seu último post, Gisela comentou sobre a preocupação cada vez maior da sociedade com a destinação final dos produ…. A logística reversa praticada por empresas de bebida, eletrônicos, pilhas, pneus e lâmpadas vem […]

Os comentários estão fechados.