A logística brasileira aos olhos do mundo

Em certos momentos, por entender que o Brasil está distante dos centros de decisão política e econômica do mundo, temos a impressão que pessoas de fora não conhecem tão bem a nossa realidade e os nossos problemas. Pois, uma pesquisa publicada nos últimos dias mostrou que o mundo está de olho em nós e a par dos nossos maiores potenciais e fraquezas.

A pesquisa em questão é o Agility Emerging Markets Logistics Index (AEMLI) – 2016, publicado em conjunto pelas empresas Transport Intelligence e Agility. O índice, já estabelecido como uma referência no setor, está em seu sétimo ano e, na edição mais recente, reuniu a experiência e as expectativas de 1.118 executivos do mundo todo ligados ao setor de logística e supply chain.

O principal resultado do estudo é um ranking que classifica os mercados de logística mais promissores entre os 45 principais países emergentes. O índice utiliza três indicadores para fazer a avaliação: Tamanho e Crescimento (compõem 50% da pontuação global), Compatibilidade (compõe 25% da pontuação global) e Conectividade (compõe 25% da pontuação global). O Brasil caiu 3 posições no ranking geral, ocupando agora sexta posição (Figura 1). A China segue líder na classificação, seguida agora pelos Emirados Árabes Unidos, que subiu 4 posições graças a sua excelente infraestrutura logística e legislação altamente favorável aos negócios.

Figura 1 – Ranking geral de classificação dos países emergentes mais promissores

Fonte: Agility Emerging Markets Logistics Index – 2016

 

Apesar da baixa taxa de crescimento projetada para o próximo ano, o tamanho da população e a sua produção econômica garantiram uma boa classificação para o Brasil no quesito Tamanho e Crescimento (4ª posição), que possui o maior peso na avaliação. Se os outros quesitos tivessem uma ponderação maior, ocuparíamos uma colocação bem mais modesta, uma vez que o Brasil ocupa a 12ª no quesito Compatibilidade (leva em conta fatores como acessibilidade ao mercado, regulamentação dos negócios, risco de mercado e ameaças de segurança) e apenas a 23ª colocação no quesito Conectividade (avalia a infraestrutura de transporte nacional e internacional do país e o quão bem os modais se conectam).

Um fator curioso com relação ao Brasil chamou a atenção no estudo. Os respondentes da pesquisa foram solicitados a classificar os cinco mercados emergentes que julgavam ser os mais propensos a se tornarem os principais mercados de logística ao longo dos próximos cinco anos. O Brasil ocupou a terceira colocação, ficando atrás apenas da Índia e da China (Figura 2).

Figura 2 – Países com maior potencial de crescimento

Fonte: Agility Emerging Markets Logistics Index – 2016

 

Entretanto, quando foi perguntado o oposto aos executivos, ou seja, os cinco países emergentes com mercado logístico menos atrativo, o Brasil apareceu no top 20, ocupando a 17ª posição, subindo incríveis 11 colocações em comparação ao ranking de 2015 (Figura 3).

Figura 3 – Países com menor potencial de crescimento

Fonte: Agility Emerging Markets Logistics Index – 2016

 

Estes resultados mostram que o momento de incerteza vivido no país está sendo refletido mundo fora e que, apesar do enorme potencial de crescimento do país, cada vez mais executivos estão deixando de acreditar no país a curto prazo, pois muitas coisas precisam ser mudadas e pouco tem sido feito nos últimos tempos.

Também foi perguntado para os executivos de logística qual era, na opinião deles, o principal obstáculo que impedia o Brasil a voltar a crescer. Com cerca de um terço dos votos, a má governança do país foi apontada como a principal barreira, seguida da corrupção e da elevada dívida pública (Figura 4). Os três fatores somados correspondem à 73,1% das respostas, revelando que os executivos do restante do mundo não acreditam no atual governo do Brasil, corroborando diversas notícias que temos lido diariamente nos jornais.

Figura 4 – Obstáculos ao retorno do crescimento brasileiro

Fonte: Agility Emerging Markets Logistics Index – 2016

 

O Agility Emerging Markets Logistics Index é um estudo bem interessante, que oferece panoramas abrangentes sobre o mercado logístico dos principais países emergentes (Vídeo 1). Se por um lado o índice de 2016 revelou expectativas ruins sobre o Brasil, ele também serviu para mostrar que nem tudo está perdido e que o país ainda goza de credibilidade entre especialistas do restante do mundo. Reformas e mudanças são necessárias, é claro. Entretanto, quando finalmente realizadas, prometem levar o Brasil ao tão almejado crescimento.

Vídeo 1 – Resumo dos principais resultados do AEMLI 2016

Fonte: Agility

 

Referências

<http://www.agility.com/EN/about-us/Pages/Agility-Emerging-Markets-Logistics-Index-2016.aspx>

<http://www.hellenicshippingnews.com/turbulent-2015-prompts-supply-chain-executives-to-reassess-emerging-market-strategies/>

<https://www.youtube.com/watch?v=3EAImYNekzk>