Cesar Lavalle - ILOS

A transformação digital do Supply Chain e seus impactos no trabalho

O mundo ao nosso redor está se tornando digital a olhos vistos. A palavra “analógica” se esvai no tempo e o papel deixou de ser a plataforma de leitura inconteste. De fato, o digital está transformando o mundo que nos cerca. O trabalho, nossas vidas e os modelos de negócios não ficaram impunes nesta transformação.

Nesse sentido, observamos também uma metamorfose no Supply Chain que está tornando cada vez mais plausível o sonho, em princípio, inalcançável de se obter um casamento perfeito entre os fluxos de informações, físicos e financeiros “end-to-end”. Tudo isso sendo viabilizado por um arsenal de tecnologias, hard e soft, muitas delas disruptivas, que possibilitam níveis de produtividade, precisão e serviços em patamares até há pouco inimagináveis.

Há cerca de duas décadas temos sentido, de maneira significativa, os impactos disruptivos da tecnologia que desencadearam desde o surgimento do e-commerce, desafiando as tradicionais lojas de varejo, até mais recentemente àqueles relacionados a conexão de hardwares via internet, ou mesmo outros que estão barateando a automação de processos. Este fenômeno tem implicado em mudanças na arquitetura dos Supply Chains e na própria definição de trabalho.

A mudança de perfil do profissional, necessária para esses novos tempos, tem sido impulsionada para atender exigências das novas práticas que estão sendo adotadas para atender o mercado, tais como os serviços de entrega de “last mile” ao domicílio do cliente; e de atendimento em lojas físicas, que estão se tornando, cada vez mais, espaço de conveniência para estimular a taxa de conversão (em compras) dos consumidores potenciais que transitam em atraentes “displays” de produtos. O Omnichannel é reflexo do “empowerment” do consumidor final que decide os meios de compra, pagamento, recebimento e devolução. E como rei, exige um tratamento diferenciado no atendimento, que requer profissionais mais capacitados tecnologicamente e interpessoalmente.

Imagine o que está acontecendo com o Uber, se comparado aos tradicionais taxis! Observamos, uma clara melhoria nos atributos desses profissionais, com melhores condições de trabalho e de remuneração. Relatos do TruckPad (o Uber dos caminhoneiros) reforçam a constatação de maior profissionalismo de seus caminhoneiros associados, se comparados com os autônomos no mercado em geral.

É interessante constatar que a transformação digital pode ser um indutor de sofisticação tanto dos clientes, quanto do perfil dos profissionais envolvidos, impulsionando prosperidade da sociedade como um todo.

 

1 responder

Trackbacks & Pingbacks

  1. […] sinônimo de produtividade e eficiência no atual mundo dos negócios altamente competitivo. O Cesar Lavalle já explorou previamente diversos impactos desse movimento para a logística, e o tema será […]

Os comentários estão fechados.