Logística para vacinação em lugares de difícil acesso

Há alguns posts, eu comentei sobre a logística da Unicef para salvar o mundo. Deixei, porém, uma parte singular que mostra como a inovação é capaz de ampliar os horizontes da logística e ajudar na prevenção de doenças em locais de difícil acesso. No final de 2018, pela primeira vez, drones foram usados na logística para ampliar a vacinação em um arquipélago do Pacífico Sul formado por 80 ilhas montanhosas, Vanuatu.

logística para vacinação

Figura 1 – Pela primeira vez, drones são testados para levar vacinas em Vanuatu

Fonte – Jason Chute – Unicef

No arquipélago da Oceania, a dificuldade em chegar à comunidade de Cook’s Bay é tamanha que não há centro médico nem eletricidade na região. Até o fim de 2018, a vacinação em Cook’s Bay só era possível uma vez ao mês após longa caminhada carregando caixas com gelo por rios, montanhas e terrenos pedregosos e sob fortes chuvas. Em consequência, até hoje, em torno de 20% das crianças do micro país acabam não sendo vacinadas.

Além das barreiras físicas, existia também uma preocupação com a comunidade local e a sua receptividade à nova tecnologia. Para evitar reações negativas aos drones e ao barulho causado por eles, as comunidades foram convidadas para participar dos testes. Assim, a barreira social também foi vencida e em torno de 40 crianças foram vacinadas.

logística para vacinação

Figura 2 – Criança recebe vacina que chegou na localidade por drone

Fonte – Jason Chute – Unicef

A iniciativa de Vanuatu faz parte de um projeto piloto do governo do micro país da Oceania com o suporte da Unicef e a participação de duas empresas operadoras de drones. O voo teve distância percorrida de 50 km sobre diversas ilhas e montanhas, com o drone chegando a 2 km da região-alvo. Os drones utilizados foram capazes de voar sob chuva e carregar mais de 2 kg entre vacinas, gelo e um monitor que controla a temperatura de conservação das vacinas.

Vídeo 1 – Drone entrega vacinas em região remota na Oceania

Fonte – Unicef

Com o sucesso do projeto piloto, a expectativa é pela implantação do programa de drones não apenas para dar suporte à vacinação, mas também para expandir a distribuição de outros itens relacionados à saúde. Além disso, Vanuatu já inspira a Unicef a levar os drones para ampliar a vacinação em outras regiões de difícil acesso no mundo, como Gana, por exemplo, que deve ter um programa similar em 2019.

Referências:
– Fast Company – On these remote pacific islands children now get life saving vaccines from drones
– Unicef – Drones take Vanuatu sky test last mile vaccine delivery children
– Unicef – Child given worlds first drone delivered vaccine