A produção de leite no Brasil

O leite é um alimento bastante presente no cardápio do brasileiro independente de sua região e/ou classe social. Tanto em sua versão UHT pasteurizada, quanto em derivados como queijos, iogurtes e achocolatados, o leite passa por um complexo processo produtivo e logístico em sua cadeia de suprimentos até chegar às prateleiras dos supermercados.

No Brasil, segundo o IBGE, há registro de produção de leite em 555 das 558 microrregiões do país, em sua grande maioria oriundo de pequenos produtores. Além disso, devido a características específicas o leite possui um nível de perecibilidade muito alto, o que dificulta ainda mais seu manuseio e armazenagem. Dentro desse contexto, é importante ressaltar a atuação de cooperativas, facilitadores logísticos que consolidam volumes diariamente de forma a simplificar a coleta das grandes indústrias. Dessa operação surgiu o conceito do milk run, que consiste na coleta ordenada de pequenos volumes de insumos a partir do mesmo veículo, da mesma forma que as cooperativas realizam diariamente com pequenos produtores.

Entretanto, apesar de ser um dos grandes produtores mundiais de leite, o Brasil ainda tem a qualidade do produto como grande limitador do crescimento desse mercado. É possível traçar uma clara relação entre o desenvolvimento social da região de produção e a qualidade do leite produzido. Na maioria das vezes isso se deve à precariedade dos métodos de alimentação do gado e ordenha, o que afeta as propriedades e consequentemente o paladar final do leite. Esse é um dos principais motivos da carência de grandes empresas de produtos lácteos no Nordeste, região que apesar do grande mercado ainda é, em sua maior parte, abastecido por indústrias localizadas em MG, SP, GO e sul do país.

De toda forma, o leite ainda é um dos principais geradores de emprego e renda no campo, mesmo com a estagnação da produção devido à crise dos últimos anos. Além disso, diversas oportunidades, principalmente relativas a fusões e aquisições, têm movimentado o setor e podem levar a um aumento na demanda de leite para os próximos anos. Será necessário planejamento no campo e reestruturação da logística para que o cenário futuro de produção e distribuição de leite seja bem aproveitado.